O Programa de Formação Transversal em Saberes Tradicionais da UFMG expressa o seu repúdio e a sua profunda tristeza diante do bárbaro assassinato do Mestre Moa do Katendê, mestre de capoeira angola, fundador do afoxé Badauê, músico, compositor e defensor da cultura e da religiosidade Afrobrasileira, ocorrido no dia 08 de outubro de 2018.

Reforçamos as palavras da Mestra Makota Kidoiale, do quilombo Manzo Ngunzo Kaiango: “Se a justiça não reconhece o que é matar um preto, vão reconhecer o que é matar um Mestre. Vamos fazer justiça sem derramar um sangue humano. Que Zambi te acalme!”

Esse assassinato dá a ver o ponto extremo da intolerância na qual o Brasil mergulhou, embalado pelo discurso de ódio e pela apologia à violência.

Que tenhamos forças para preservar as vidas e a memória dos mestres da nossa cultura popular.

Categories: blog