Em sessão realizada no dia 16 de dezembro de 2021, o Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (CEPE) da UFMG concedeu, por unanimidade, o título de NOTÓRIO SABER (equivalente ao grau de Doutor) a mais quatro mestres das comunidades tradicionais.  As formas de viver e pensar, as forças de imaginação política e de criação estética dos povos afrodescendentes e indígenas entram cada vez mais em diálogo com o conhecimento acadêmico.

 A todas e todos que se engajaram nesse processo – integrantes das comunidades dos mestres, aprendizes, pesquisadores, professores e representantes dos órgãos colegiados da UFMG – nosso muito obrigado, por partilharem conosco essa política de inclusão epistêmica, que traz para a universidade saberes vitais que tanto têm contribuído para imaginarmos outras formas de viver juntos, de que o nosso país necessita urgentemente. 

José Bonifácio da Luz (Bengala): Liderança política e espiritual, educador da comunidade quilombola dos Arturos (Contagem, MG), Mestre de Congo no Reino dos Arturos e guardião dos cantos e das danças.

Isael Maxakali (Yaet Maxakani): Cineasta, artista visual, educador e liderança política do povo Tikmũ’ũn (Maxakali), morador da Aldeia Hãm Kutok (Ladainha, MG).

Cacique Nailton (Nailton Muniz Pataxó): Liderança política e espiritual da Terra Indígena Caramuru Paraguassu, do povo Pataxó, liderou a reconquista autônoma e pacífica do território dos povos Pataxó Hã hã Hãe no Sul da Bahia

Edson Moreira da Silva (Mestre Primo): Mestre da capoeira Angola, formado pelos principais mestres da Bahia e de Minas Gerais, criador do grupo Iúna e hoje formador de inúmeros capoeiristas e mestres dessa arte em Minas Gerais.

Os quatro mestres se somam a Sueli Maxakali, Joelson Ferreira de Oliveira e Dirceu Ferreira Sérgio que receberam o Título de Notório Saber em 9 de setembro de 2021.

Saiba mais

Categories: noticias