Ementa
Batuque é o nome pelo qual são conhecidas as tradições africanas e as experiências do sagrado presentes no Rio Grande do Sul.

Elas estão organizadas sob a forma de várias nações, as quais são compostas por diferentes histórias, saberes, linhagens rituais e práticas do axé.

O batuque é orientado por um modo de vida comunitário e tem no ilê, ou casa de culto, um dos seus principais territórios rituais.

Cada uma dessas casas está genealogicamente vinculada a pelo menos uma nação, e desse vínculo pode resultar um conjunto de relações entre casas que, embora diferentes e autônomas entre si, compartilham desse pertencimento a uma mesma tradição.

Entre a casa e a nação, por sua vez, pode se interpor a bacia, a qual, via de regra, diferencia as linhagens de axé em vários segmentos rituais, pluralizando as ancestralidades negras.

A disciplina “Saberes do Batuque” contará com a participação de mestras e de mestres vinculados a diferentes casas, bacias e a algumas dessas nações, tais como Oyó, Cabinda, Jeje/Gêge e Ijexá.


Mestras e Mestres convidadas
Mestre Cica de Oyó
Bábàlórìşà da Tradição do Batuque, professor de Yorùbá e escritor


Yalorixá Michele de Oxum
Sacerdotisa do Batuque, da nação Cabinda, da Casa Nossa Senhora da Conceição, em Pelotas, RS

Babalorixá Rodrigo do Bará
Nação Ijexá Gêge e do Ylê Africano Bará Adaguê, em Pelotas, RS

Iyá Sandrali
Nação Cabinda, secretária-executiva do Conselho do Povo de Terreiro do Rio Grande e coordenadora do Movimento Negro Unificado/RS


Nina Fola
Mulher negra, mãe e de terreiro, doutoranda em Sociologia na UFRGS, cantora, compositora e percussionista


Professores parceiros
Edgar Rodrigues Barbosa Neto (FAE)
Pedro Rocha de Almeida e Castro (FAE)

Horário
Terças, de 14h40 às 17h50, com encontros quinzenais


Data de início
26 de outubro de 2021

Término
22 de fevereiro de 2022

Categories: videoaulas