por Ailton Krenak

Quando engenheiros me disseram que iriam usar a tecnologia para recuperar o rio doce e perguntaram a minha opinião. Eu respondi: “A minha sugestão é muito difícil de colocar em prática, pois teríamos que parar todas as atividades humanas que incidem sobre o corpo do rio a cem quilômetros nas margens direita e esquerda até que ele voltasse a ter vida”. Então um deles me disse: Mas isso é impossível! O mundo não pode parar. E o mundo parou.

Ailton Krenak é um dos mais importantes pensadores indígenas, com uma marcante atuação política em torno das causas indígenas e ambientais.

Ele é autor de “Idéias para adiar o fim do mundo“, dentre inúmeros outros livros. Os Krenak se localizam na região do vale do Rio Doce.

Desde a década de 1970 Ailton Krenak luta em favor dos direitos indígenas, por meio da organização Aliança dos povos da floresta.

Dessa forma, ele contribuiu decisivamente para o reconhecimento da cultura indígena e de seus direitos na constituição de 1988, num discurso que entrou para a história brasileira.

Em 2016, o autor recebeu o título de Doutor Honoris Causa pela Universidade Federal de Juiz de Fora.

Ele esteve conosco em 2016, como participante convidado do curso: “Ojuhu Ñe’é/Mbopaje Ñe’e – Encontrar Palavra/Encantar a Palavra”.

Download gratuito pela Amazon

No dia 18 de setembro de 2020, sexta feira, às 19h, ele fará uma palestra pelo festival de inverno da ufmg:

Veja também:

Histórico Discurso na Assembléia Constituinte de 1988:

Entrevista para o programa Vozes da Floresta do Le Monde Diplomatic